quinta-feira, 11 de julho de 2013

DICOTOMIA EM PAUTA


Ontem, 17 de julho, os líderes do Congresso Nacional resolveram não apreciar os mais de 1700 vetos presidenciais.
Mais hilário é que a justificativa para esta inércia é que poderia causar um transtorno e dificuldade fiscal para o país.
Ai está a dicotomia, pois o governo federal não se cansa de propalar à saciedade a ótima situação econômica do país, e o faz até de forma irresponsável, pois no mesmo dia 17 aprovou,  usando de sua maioria no Senado Federal,    verdadeira anistia, representada por US$ 352,6 milhões da dívida do Congo, país pertencente ao continente africano, quando ofereceu conversão da dívida em condições tão benéficas, em prazo e taxas de juros, dignos de inveja pelos estados da federação, que não recebem o mesmo tratamento.  
Ora, um dos vetos que fica colocado "na gaveta"  pelas lideranças do Congresso Nacional é o fim do fator previdenciário, que beneficiária milhares de aposentados que são sacrificados em seus benefícios pelo brutal desconto que lhe é imputado. 
Só para esclarecimento, a omissão do Congresso Nacional tem justificativa ilegal e imoral, uma vez que não cabe juízo de valor em escolher a oportunidade de apreciar os vetos impostos pelo Poder Executivo, mas sim, cabe obedecer dispositivo da Constituição da República que determina a apreciação dos vetos, sem qualquer condicionante. 
Mais um desserviço prestado pelo Congresso Nacional.
Paul Marc. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário